sábado, 28 de fevereiro de 2015

Oficina em Ativismo e Incidência Política por Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos - Inscrições Abertas!



DATA LIMITE DE INSCRIÇÃO para oficina no Rio de Janeiro: 13 DE MARÇO

A Anistia Internacional Brasil e o Coletivo Mangueiras – Jovens Feministas por Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos – abrem inscrições para a série de oficinas de Ativismo e Incidência Política por Direitos Sexuais e Reprodutivos, que serão realizadas nas cidades do Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte e Recife, entre março e maio de 2015.
Com o objetivo central de fortalecer a participação de jovens na promoção dos direitos sexuais e direitos reprodutivos no Brasil, as oficinas buscam criar espaços de debate e diálogo com jovens de 15 a 25 anos para ações de incidência política na defesa e promoção dos direitos sexuais e reprodutivos. As oficinas serão pautadas por uma perspectiva de direitos humanos e do desenvolvimento das habilidades de ativismo e incidência políticas em diferentes espaços. O projeto tem também como objetivo estabelecer uma rede de jovens comprometida a realizar ações de continuidade das oficinas, seja replicando as dinâmicas, seja atuando diretamente em defesa dos seus direitos sexuais e reprodutivos.
Confira as datas:
Rio de Janeiro
Período de Inscrições: 22 de fevereiro a 13 de março de 2015
Inscrições pelo endereço: http://bit.ly/DSDR_inscricoes_RJ
Data da Oficina: 11 e 12 de abril de 2015
Local: Sede da Anistia Internacional Brasil
Praça São Salvador nº 5 – Laranjeiras
Horário: de 9h às 18h

Brasília
Período de Inscrições: 16 a 31 de março de 2015
Data da Oficina: 25 e 26 de abril de 2015
Local: a definir
Horário:de 9h às 18h

Belo Horizonte
Período de Inscrições: 6 17 de abril de 2015
Data da Oficina: 16 e 17 de maio de 2015
Local: a definir
Horário: de 9h às 18h

Recife
Período de Inscrições: 15 a 30 de abril de 2015
Data da Oficina: 30 e 31 de maio de 2015
Local: a definir
Horário: a definir

A oficina contará com
2 dias de encontro (7 horas por dia);
Alimentação durante o evento;
Certificado para quem participar de 100% da oficina.
* A Anistia Internacional e o Coletivo Mangueiras oferecerão ajuda de custo de transporte.

Documentos necessários para inscrição:
Carta de apresentação;
Formulário preenchido de dados pessoais.
**ATENÇÃO: Serão aceitas apenas as inscrições com formulário completamente preenchido e carta de apresentação.

Critérios de seleção:
Ter entre 15 e 25 anos;
Demonstrar interesse em DSDR e preferencialmente com alguma experiência em mobilização;
Compromisso e disponibilidade para atividades de continuação da oficina por pelo menos 6 meses;
Disponibilidade para participar integralmente nos dois dias da oficina.
Saiba mais
Anistia Internacional é uma organização não-governamental de direitos humanos com mais de 7 milhões de apoiadores em todo o mundo. Em 2013, lançamos a campanha Meu Corpo, Meus Direitos para atuar em defesa dos direitos sexuais e reprodutivos.
Coletivo Mangueiras – Jovens Feministas por Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos – é um grupo autônomo e feminista de jovens que lutam pelo reconhecimento e garantia de direitos sexuais e direitos reprodutivos como direitos humanos, em uma perspectiva integral e interseccional, a partir da valorização das diversidades.
Leia mais...

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Interação Medicamentosa: Um perigo para nossa saúde?! Um APP que pode ajudar!

O que é interação medicamentosa?

Chamamos de interação medicamentosa a interferência de um medicamento na ação, na absorção, no metabolismo ou na excreção de outra substância.

As interações podem ser positivas ou negativas?
Sim! As positivas são aquelas que aumentam o efeito terapêutico ou reduzem possíveis efeitos tóxicos de um medicamento, e as negativas são aquelas que potencializam os efeitos indesejáveis ou que podem aumentar o risco de reações adversas.

Como posso saber se a interação pode me prejudicar?
Toda bula de medicações tem essa informação. É sempre recomendado que leia para ter certeza se a medicação que está tomando é segura.

Mas tenho que comprar a medicação ler a bula e só assim saber se posso tomar ou não?
Não. Existe duas formas que sugerimos. A primeira é procurar o nome do remédio no google, exemplo de busca: Bula Azitromicina
A segunda dica é maravilhosa para a interação de ARVS! Existe um app para celular chamado "HIV iChart"  com ele é possível saber quais remédios podem ser ingeridos. Veja a explicação básica para utiliza-lo:

Baixe o app: HIV iChart




















Clique em "Start Drug Interacions"




















Selecione os seus ARVs e click na seta superior direita:




















Selecione a substância que quer saber a interação e novamente na mesma seta (Ex: Cliquei em Aspirin/Aspirina)



















Veja as interações entres seus ARVs e entre a medicação selecionada, observe que VERDE: Significa interação segura; Amarelo: Interação deve ter cuidado e Vermelha: Interação perigosa


Clique na seta verde ao lado de cada combinação e leia as informações sobre a interação



















OBS: Nunca deixe de informar seu médico sobre os remédios/substâncias que utiliza no dia a dia, essa informação pode salvar sua vida!


Leia mais...

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Oportunidade de formação para jovens ativistas!!! UNAIDS Brasil

O prazo para se candidatar para o “Curso de Formação de Novas Lideranças das Populações-Chave Visando ao Controle Social do Sistema Único de Saúde no âmbito do HIV/AIDS” é dia 8 de março.


UNAIDS, UNICEF e UNESCO em parceria com o Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde (DDAHV/SVS/MS) anunciam oportunidade na área de políticas públicas de saúde para jovens líderes!


Inicia hoje o prazo de candidatura para o “Curso de Formação de Novas Lideranças das Populações-Chave Visando o Controle Social do Sistema Único de Saúde no âmbito do HIV/AIDS”, que será realizado em Brasília de 7 a 11 de maio de 2015.

Os(as) candidatos(as) devem ter entre 18 a 26 anos, ser ativistas e/ou fazer parte de um das populações-chave e ter disponibilidade de tempo para realizar todas as atividades propostas pelo curso.

Você pode se inscrever até o dia 8 de março através do link:http://bit.ly/FormularioCurso
Para mais informações, acesse o edital completo em: http://www.unaids.org.br/…/Edital_curso_novas_liderancas.pdf
Leia mais...

sábado, 14 de fevereiro de 2015

Reagente para HIV/AIDS e agora?

Reagente não é sentença de morte! Atualmente a taxa de mortalidade entre as pessoas que fazem o devido acompanhamento e tratamento podem e vivem MUITO BEM, lógico que descobrir que estar com uma doença MEGA estigmatizada nos faz sentir a "ultima bolacha do pacote"...

É mas fique calm@, você não está só!

Você já ouviu falar da Rede Nacional de Pessoas Vivendo e Convivendo com HIV/Aids? Aposto que não!
Está rede é acolhimento, secreta no Facebook, onde os membros podem fazer amizade, compartilhar suas dúvidas, medos, experiências, vitórias, conquistas e histórias. Dentro dela, você poderá encontrar outras pessoas que vivem e convivem com essa "NOVA" situação parecida e você pode encontrar ajuda através das vivências. Bom né?! Na verdade é maravilhoso, nos faz sentirmos a bolacha do meio do pacote! :P

Se você quiser fazer parte desse espaço super bacana, basta acessar o formulário http://goo.gl/forms/sLPqqGRMrM!

Fique tranquilo porque sua identidade será mantida no mais absoluto sigilo!

Agora a escolha é sua, venha viver um espaço sem qualquer discriminação! 

#FicaAdica 


Leia mais...

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Nota de esclarecimento do diretor do DDAHV, Dr. Fábio Mesquita, em resposta a Nota FOAESP do Sr. Rodrigo Pinheiro.

A Rede Jovem Rio + (REAJVCHA-RJ), recebeu por e-mail no dia 13 de fevereiro de 2015 às 09:39, a nota de esclarecimento (abaixo) do diretor do Departamento de DST, AIDS e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, Dr. Fábio Mesquita, em resposta a afirmações publicadas nesta semana pelo Sr. Rodrigo Pinheiro.



"O presidente do Fórum de ONG de Aids do Estado de São Paulo, Sr. Rodrigo Pinheiro, em nota assinada por ele e publicada no site da entidade, mais uma vez não diz toda a verdade. Apostando no “quanto pior, melhor”, Rodrigo insiste em deturpar as informações sobre a distribuição do 3 em 1 no Brasil.
Por respeito às pessoas vivendo e convivendo com HIV, para as quais tenho trabalhado incansavelmente, sinto-me compelido a esclarecer o mal entendido ou a má intencionada informação divulgada.
No Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas, lançado no final de 2013, apenas cinco meses após eu assumir o Departamento de DST’s, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde (DDAHV) há uma sugestão de uso do 3 em 1 quando disponível. Importante ressaltar que quando o protocolo foi lançado, o 3 em 1 não estava ainda disponível no país.
A inclusão do 3 em 1 no protocolo foi uma maneira de abrir as portas para o medicamento, tornando oficial a postura do Departamento em aderir a formas de tratamento que atendessem melhor às necessidades das pessoas vivendo com o vírus. Tanto, que já em agosto de 2014, o 3 em 1 passou a ser distribuído para os pacientes em início de tratamento no Amazonas e Rio Grande do Sul, estados onde a incidência da epidemia é mais incisiva. (http://www.aids.gov.br/noticia/2014/medicamento-3-em-1-comeca-ser-distribuido). Já a partir de janeiro de 2015, nesses dois estados, o 3 em 1 passou a estar disponível para todos os pacientes, inclusive os antigos.

Em janeiro de 2015, o Ministério da Saúde anunciou amplamente na imprensa que o 3 em 1 estaria inicialmente disponível apenas para novos casos, sendo que ainda no primeiro semestre de 2015, essa nova formulação estaria disponível também para TODOS os pacientes nas outras 25 unidades da federação.

O 3 em 1 é uma inovação e uma grande vitória para os pacientes de AIDS no Brasil, mas a turma do “quanto pior, melhor” insiste em tentar desqualificar a iniciativa.


Fábio Mesquita
Diretor do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais"


Leia mais...

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

A Aids não tem cara e não tem cura - Use camisinha - Campanha CEDS RIO

                                           A Aids não tem cara e não tem cura - Use camisinha 

Filme da campanha de prevenção da Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual e da Secretaria Municipal de Saúde, órgãos da Prefeitura do Rio com a participação de voluntários e da presidente da ONG Sociedade Viva Cazuza, Lucinha Araújo. Fevereiro de 2015.

Conheça o portal: http://www.cedsrio.com.br/
Curta a página do facebook: https://www.facebook.com/CEDSRIO
No twitter e instagram: @cedsrio
Leia mais...

Medicamento "3 em 1" não é para todos?!

NOTA FOAESP SOBRE A DISTRIBUIÇÃO DE MEDICAMENTO 3 EM 1 A PACIENTES JÁ EM TRATAMENTO
"Na última reunião ordinária do FOAESP, 06 de fevereiro, o representante da Secretaria Estadual de Saúde informou que, conforme determinação do Ministério da Saúde, o uso da dose tripla combinada (tenofovir, lamivudina e efavirenz ) esta sendo distribuída somente aos pacientes com diagnostico recente, deixando fora deste acessos os que já estão em tratamento.

Confirmada esta informação se revela não apenas uma limitação imposta a estes pacientes, mas uma falta grave de planejamento do Ministério da Saúde na distribuição desta apresentação de medicamento. O mesmo já constava no Protocolo Clínico de Tratamento de Adultos com HIV e Aids do Ministério da Saúde, publicado em dezembro de 2013 e agora, 14 meses depois, ainda não esta a disposição dos que dele necessitam.

O alarde feito na época da divulgação desta informação revela que a preocupação com a repercussão midiática de qualquer ação de saúde pública, parece estar acima da real atitude de incentivo a adesão e a um tratamento de qualidade. Manchete em vários veículos de comunicação, e destaque nos meios de divulgação oficiais, a notícia trouxe esperança aos que apresentam dificuldades no uso de várias cápsulas diariamente- tanto pela possibilidade de diminuição dos efeitos colaterais como pela menor chance de exposição aos preconceitos- no entanto nada de efetivo avançou na direção dos que já vivem com HIV/Aids.

Acompanhamos atentos os desdobramentos desta lamentável falha de gestão, ainda na expectativa de uma informação oficial explicando o motivo entre a divulgação do marketing e o efeito real. Seriedade na condução da coisa pública e no manejo com a qualidade de vida de pacientes é uma das fundamentais responsabilidades de quem ocupa função pública em saúde, com certeza tal descaso não será esquecido.

http://www.forumaidssp.org.br/home/destaque)

Rodrigo Pinheiro
Presidente"
Leia mais...