quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

"MUDANÇA DE ESTILO DE VIDA de uma pessoa vivendo com HIV/AIDS sob tratamento antirretroviral."

Olha olha galerinha!

Mais uma postagem super interessante para vocês!

O Projeto SAÚDE MAIS, traz as seguintes informações:

"Estamos recebendo algumas mensagens em nossa página com questões à respeito da MUDANÇA DE ESTILO DE VIDA de uma pessoa vivendo com HIV/AIDS sob tratamento antirretroviral. Gostaríamos que vocês continuassem enviando sugestões de temas, pois são os anseios de vocês que vão nos direcionar para o melhor caminho da multiplicação de conhecimento.

Para minimizar a falta de tempo de nossa equipe, estamos propondo uma ação para manter a divulgação das informações: iremos publicar 7 informações às segundas-feiras (uma para cada dia da semana) sobre algum tema específico. Com isso, nossos seguidores poderão optar entre compartilhar todas as informações de uma só vez, ou partilhar uma informação por dia com seus amigos virtuais.

Lembrem-se que ser um multiplicador de conhecimento pode salvar muitas vidas!!! Então, vamos lá!!!

TEMA: Lipodistrofia

Dia 1 - O que é lipodistrofia?

A lipodistrofia é uma alteração na distribuição de gordura corporal, que se torna visível quando algumas regiões do corpo perdem gordura (braços, pernas, nádegas e rosto) e outras acumulam gordura (abdômen, mamas, costas e nuca).

A principal queixa em relação a lipodistrofia surge quando as mudanças físicas e estéticas começam a ocorrer, comprometendo a autoestima do indivíduo. Por causa da aparência insatisfatória, muitos pacientes se isolam por medo de serem discriminados e desenvolvem sintomas depressivos graves.

Dia 2 - Porquê ocorre a lipodistrofia em uma PVHA?

Ainda não se sabe exatamente o mecanismo que leva ao aparecimento da lipodistrofia, embora algumas dúvidas já tenham sido esclarecidas. O tempo de infecção pelo HIV, a idade do paciente e o tempo de uso dos antirretrovirais são alguns dos fatores que podem estar relacionados a lipodistrofia.

Também existem indícios de que um dos mecanismos para a ocorrência da lipodistrofia seja a intoxicação das células pelos medicamentos e pelo próprio HIV. Contudo, o fator genético pode ter grande relação com a lipodistrofia, fazendo com que algumas pessoas estejam predispostas e outras não.

Dia 3 - Como prevenir ou tratar a lipodistrofia?

A pessoa vivendo com HIV tem um gasto maior de energia do que uma pessoa que não tem HIV. Para minimizar esse déficit energético, o primeiro passo é investir na alimentação, dando atenção redobrada e contínua.

Em sua alimentação não devem faltar cereais e leguminosas, carnes magras e os legumes e verduras. Junto com as frutas, estes alimentos são indispensáveis em sua dieta, pois são ricos em vitaminas e fibras essenciais para o bom funcionamento do intestino. É válido evitar alimentos com alto teor de gordura e as frituras. Outra coisa que não deve faltar: água!

O mais recomendado é que a PVHA procure um profissional de nutrição qualificado e, se possível, especializado em HIV, para que possa fazer o seu acompanhamento. Assim como não prescrevemos nossos próprios remédios, não devemos prescrever nossas próprias dietas e nem nossos próprios exercícios.

Dia 4 - Posso/devo realizar exercícios físicos?

Uma unanimidade entre os profissionais que trabalham com pessoas vivendo com HIV/AIDS é que a prática regular de exercícios físicos é fundamental, em que estes deveriam fazer parte do tratamento na mesma dimensão que os remédios antirretrovirais.

Por termos recebidos muitas mensagens sobre "quais exercícios devo fazer?", "veja se minha série da academia está boa", "vocês podem me passar a série para quem tem HIV?", entre outras, queremos esclarecer que o treinamento de uma PVHA exige os mesmos critérios que uma pessoa soronegativa para HIV: (1) quais são as necessidades específicas do aluno e (2) quais as ferramentas que eu posso utilizar para alcançar esses objetivos.

Portanto, não existe uma "fórmula milagrosa" para todas as pessoas vivendo com HIV/AIDS, pois o primeiro fundamento para a prescrição de um treinamento é RESPEITAR A INDIVIDUALIDADE BIOLÓGICA DE CADA ALUNO. Procure um profissional especializado em PVHA e comece a praticar seus exercícios.

Dia 5 - O que mais a lipodistrofia pode afetar?

O maior problema que a lipodistrofia traz para uma pessoa está ligado a perda de identidade. O corpo é parte essencial da nossa identidade, que vai se construindo desde a primeira infância.

A lipodistrofia também interfere na sexualidade das pessoas vivendo com HIV/AIDS. Não se sentir atraente pode fazer com que você se afaste de seu/sua parceiro/a ou, até mesmo, que não se dê a oportunidade de investir em novos encontros afetivos.

Com tantos problemas de ordem emocional causados pela lipodistrofia, é fácil entender a razão pela qual muitos soropositivos sentem vontade de abandonar o tratamento antirretroviral, mesmo sabendo conscientemente o quanto essa atitude pode ser prejudicial à sua saúde.

Para alguns profissionais, a melhora da percepção da autoimagem e a consequente melhora da autoestima constituem o principal benefício da prática de exercícios físicos. Acreditam que ao exercitar-se, o paciente sai da inércia, se responsabiliza por sua saúde, adota hábitos mais saudáveis, além de se sentir mais bonito e feliz.

Dia 6 - Então se eu fizer musculação estou curado da lipodistrofia?

Quem pensa em solucionar a questão da lipodistrofia apenas aumentando os músculos está tocando somente na superfície do problema. A pessoa só irá sentir-se satisfeita consigo mesmo se ela reconhecer-se em uma nova realidade, o que pode ser alcançado apenas se houver uma mudança externa e interna.

Para reconstruir sua identidade, deve-se construir uma nova imagem, levando em conta todas as experiências vividas.

Dia 7 - Retardar o meu tratamento será bom para não ter lipodistrofia?

Tanto no meio acadêmico quanto no meio científico, já existe um consenso de que o início precoce do tratamento traz mais benefícios do que malefícios ao paciente vivendo com HIV.

A questão é que esse tratamento, como outro qualquer, exige que o indivíduo adote uma mudança em seu estilo de vida, direcionando-o para um caminho mais saudável.

Não só recomenda-se o início do tratamento assim que possível, como alertamos para que o paciente NÃO PARE DE TOMAR SEUS REMÉDIOS sem consultar o seu médico! Só ele será capaz de adequar o seu tratamento de acordo com suas necessidades. Assim será com o nutricionista em relação à sua alimentação e com o profissional de Educação Física em relação ao seu treinamento físico.

Qualquer dúvida, envie-nos por mensagem ou para o email:
projetosaudemais@hotmail.com

Gostou? Curta e leia muito mais informações em:https://www.facebook.com/projetosaudemais2013
Leia mais...

Vacina contra HPV para meninas!




Atenção meninas de 11 a 13 anos vocês poderão receber a vacina contra o vírus HPV nas escolas e postos de saúde da rede pública e será grátis! 









 Ajude a prevenir o seu futuro meninas! 

Acesse e Compartilhe! http://zip.net/bcl017
Leia mais...

"Vacina anti-HIV da USP passa em teste inicial com macacos!"

Leia na integra: http://www1.folha.uol.com.br/ciencia/2014/02/1413154-vacina-anti-hiv-da-usp-passa-em-teste-inicial-com-macacos.shtml


Leia mais...

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

"A prática de exercícios físicos para pessoas vivendo com HIV/AIDS"



SAÚDE MAIS, traz informações espeficicas para portadores do vírus da AIDS!!!

O projeto inclui a multiplicação de conhecimento sobre "A prática de exercícios físicos para pessoas vivendo com HIV/AIDS", por meio de palestras e cursos em todo o país.

Aproveitando as mídias sociais, para um alcance maior, viemos divulgar e solicitar o aprimoramento do acervo de informações de acordo com as dúvidas que mais atormentam tanto os profissionais de Educação Física quanto as pessoas vivendo com HIV/AIDS. 

Quer contribuir?
Envie para o email (projetosaudemais@hotmail.com) suas dúvidas, perguntas quanto ao tema.

"Por exemplo:

- Você é professor de uma academia e um aluno soropositivo quer que você prescreva o seu programa de treinamento. Você sabe quais as especificidades do treinamento para esse público? O que você gostaria de saber sobre HIV/AIDS? Quais são as suas dúvidas em relação à prescrição de exercício para uma pessoa em tratamento para HIV? Como atender esse aluno e como falar com ele?

- Você é soropositivo para HIV e seu médico lhe informou que é de suma importância que você pratique regularmente exercícios físicos para evitar o desenvolvimento dos efeitos colaterais do tratamento. Você sabe quais são esses efeitos? Tem idéia de qual exercício seria indicado para você? Sabe se tem alguma restrição de exercício pelo fato de ser soropositivo?

Espero que vocês possam ajuda-los a identificar quais as questões mais importantes para vocês, profissionais de Educação Física e Pessoas Vivendo com HIV/AIDS!!!

Mandem suas dúvidas por email! E sintam-se à vontade para compartilhar com amigos que poderiam ajudar-nos!!!
"A Educação Física ajudando a reinventar a vida" ''

Fonte: https://www.facebook.com/projetosaudemais2013
Leia mais...